Alunos residente em pedagogia criam jogos educativos e disponibilizam à escola municipal


Alunos do curso de Pedagogia da FAC FEA que participam do programa Residência Pedagógica, do governo Federal, criaram um pacote com 30 jogos pedagógicos para serem utilizados nas disciplinas de língua portuguesa e matemática, para alunos do Ensino Fundamental I da rede municipal de ensino. O conteúdo foi entregue à direção da escola Maria de Freitas Souza com todas as regras dos jogos e inclusive plano de aula, link para o vídeo explicativo, 30 jogos e 30 fichas avaliativas.
O residente João Vitor Ferreira da Silva, 21 anos, está cursando o oitavo semestre de pedagogia e finalizando os dois anos de residência pedagógica na escola municipal Maria de Freitas de Souza. Neste período ele recebeu um valor mensal pela participação do programa, que é uma das ações que integram a Política Nacional de Formação de Professores e tem por objetivo induzir o aperfeiçoamento da formação prática nos cursos de licenciatura, promovendo a imersão do licenciando na escola de educação básica.
Ele explicou que devido à pandemia, o grupo de residente decidiu inovar e passou a desenvolver os jogos com base no que já haviam vivenciado no ano anterior, na prática, conhecendo o dia a dia e as particularidades dos alunos da escola. “Nós nos mobilizamos e fomos comprando tudo que era necessário para formação dos dois kits de jogos”, explicou.
Os jogos, segundo ele, são educativos com teor lúdico, alguns em forma de tabuleiros e outros de percurso. A turma de João Vítor encerrou essa semana a residência pedagógica. O universitário residente lembrou que tudo foi desenvolvido após uma série de estudos para uma sequência pedagógica que será aplicada na prática.
Devido à falta de alunos no método presencial, por conta do isolamento social provocado pela pandemia, os alunos aproveitaram o tempo para desenvolver todos esses jogos, que passarão a ser utilizados pela escola com o retorno das aulas presenciais.
O coordenador do curso de pedagogia da FAC FEA, uma das poucas instituições de ensino credenciadas no programa de Residência Pedagógica no interior do Estado, professor Mestre Luís Henrique Zago, lembra que um dos teóricos mais importantes da educação, Lev Vigotski, diz que só podemos afirmar que “conhecemos um conceito se conseguirmos utilizá-lo em nossa prática cotidiana”. 
Ele destaca que atentos a isso, a faculdade busca desenvolver um estágio que seja a tradução da teoria em prática docente. “Buscamos sempre tornar vivo os conteúdos ensinados. Percebemos que conhecer teorias e falas de educadores não tem sentido se estas não resultarem em uma prática que signifique melhores condições de trabalho e ensino”. 
Como instituição municipal, a FAC FEA compreende que os alunos não podem ficar distantes das escolas enclausurados atrás dos muros da faculdade e escudados por teorias que não apresentem relação com a realidade. “É nosso dever como instituição pública estar integrados a rede de ensino da cidade fornecendo conhecimento e práticas sempre inovadoras e transformadoras”. 
“A preocupação em não se distanciar da prática resulta em uma formação que se destaca pela qualidade que não deixa de aparecer nas aprovações de concursos e avaliações realizadas pelo Ministério da educação. A união entre teoria e prática faz com que nossos estudantes sejam buscados pelas melhores escolas da região e sejam aprovados em programas de mestrado e concursos por todo o país”, lembrou. 
Programas de estágios
Hoje a FAC é uma das poucas instituições de ensino no interior que oferecem duas importantes modalidades de estágio do Ministério da educação. Uma delas é o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid), que oferece bolsas de iniciação à docência aos alunos de cursos presenciais que se dediquem ao estágio nas escolas públicas e que, quando graduados, se comprometam com o exercício do magistério na rede pública. 
O objetivo é antecipar o vínculo entre os futuros mestres e as salas de aula da rede pública. Com essa iniciativa, o Pibid faz uma articulação entre a educação superior (por meio das licenciaturas), a escola e os sistemas estaduais e municipais.
O outro programa é a Residência Pedagógica, uma das ações que integram a Política Nacional de Formação de Professores e tem por objetivo induzir o aperfeiçoamento da formação prática nos cursos de licenciatura, promovendo a imersão do licenciando na escola de educação básica, a partir da segunda metade de seu curso.
Essa imersão deve contemplar, entre outras atividades, regência de sala de aula e intervenção pedagógica, acompanhadas por um professor da escola com experiência na área de ensino do licenciando e orientada por um docente da sua Instituição Formadora.
A Residência Pedagógica, articulada aos demais programas da Capes compõem a Política Nacional, tem como premissas básicas o entendimento de que a formação de professores nos cursos de licenciatura deve assegurar aos seus egressos, habilidades e competências que lhes permitam realizar um ensino de qualidade nas escolas de educação básica.
Araçatuba Acontece
11/09/2021



Postar um comentário

0 Comentários