Dia da Prematuridade Bebês prematuros sobrevivem com qualidade de vida no complexo neonatal da Santa Casa de Araçatuba

 Bebês que nasceram prematuros e precisaram de tratamento intensivo inicialmente para sobreviverem e ultrapassado esse ciclo, para atingir condições clínicas ideais para irem para casa, foram clicados na UTI Neonatal da Santa Casa de Araçatuba em um ensaio realizado de forma voluntária pela fotógrafa Cibele vieira.

O ensaio realizado no final de outubro foi autorizado pelos pais e idealizado pelas equipes médica e de enfermagem do Serviço de Neonatologia Intensiva da Santa Casa de Araçatuba em comemoração ao Novembro Roxo, evento criado pelo Ministério da Saúde para divulgar prevenção e reflexões sobre nascimentos de bebês prematuros.

Em fantasias de super-heróis e bichinhos adquiridas pela equipe de enfermagem e confeccionadas por duas enfermeiras do setor, os bebês reportados pelo ensaio exemplificam a fragilidade física e ao mesmo tempo a força interior para vencer os desafios da prematuridade.  Alguns ainda seguem internados, outros já reeberam alta.

As fotos estão sendo distribuídas nesta segunda-feira (16/11) em comemoração ao Dia Mundial da Prematuridade celebrado amanhã ,17 de novembro.   A data tem como finalidade sensibilizar a população para a problemática dos bebês que nascem prematuros, o que tem se tornado cada vez mais comum em decorrência do aumento da incidência de partos gemelares por pacientes submetidas à fertilização in vitro.

Em todo o mundo, um em cada dez bebês nasce prematuro, o que significa que cerca de 15 milhões de crianças nascem antes do tempo. 

Na região de Araçatuba, segundo o neonatologista intensivista pediátrico Anderson Azevedo Dutra, o alto índice de prematuridade está associado à dificuldade de acesso à atenção primária e de coordenação da atenção primária nos 42 municípios para os quais a Santa Casa de Araçatuba é referência em obstetrícia de alto risco.

Dutra é o responsável técnico pelo Serviço de Neonatologia Intensiva da Santa Casa de Araçatuba, que possui 24 leitos de UTI Neonatal, 12 dos quais neonatais e pediátricos, além de 12 leitos semi-intensivos neonatais. 

“Possuímos uma estrutura robusta, além de profissionais altamente capacitados para cuidar dos bebês extremamente prematuros”, afirma o médico. A equipe é formada por médicos, enfermeiros, fonoaudiólogos e terapeutas.

Por dia, as UTIs Neonatal e Pediátrica e a UTI Neonatal registram médias de um a dois pacientes, com 86% de média de ocupação dos leitos. O atendimento é, referencialmente, a pacientes do SUS, que correspondem à média de 95% das internações.

No período novembro de 2019 a setembro de 2020, as duas UTIs Neonatais da Santa Casa registraram 343 internações de bebês prematuros. 

Conforme o neonatologista intensivista pediátrico, muitas das gestantes encaminhadas tanto pelo Alto Risco e, eventualmente, através de Urgência e Emergência, têm idade gestacional limitantes, de 24 a 25 semanas, e os bebês apresentam peso inferior a 400 gramas, ou seja, são muito pequenos. Para melhorar os prognósticos, seria preciso esperar algumas semanas para realizar o parto.

“Lamentavelmente, essa atenção que poderia ter sido dada à gestante e, de baixo custo, não é realizada e acaba culminando com nascimentos prematuros e custos emocionais, humanos e financeiros”, frisa o médico.

A média de peso dos bebês que sobrevivem no complexo neonatal da Santa Casa de Araçatuba é entre 670 a 772 gramas. O tempo médico de internação é de 60 dias e os bebês recebem alta quando atingem os dois quilos.

O grande desafio da neonatologia, hoje, não é somente em relação à sobrevivência dos prematuros, segundo Dutra, mas garantir qualidade de vida. Para isso, o Serviço de Neonatologia Intensiva da Santa Casa de Araçatuba instituiu uma série de protocolos, que garantem aos recém-nascidos extremamente prematuros uma atenção especial, focada em uma nutrição precoce, com leite materno, e suportes adequados para evitar danos no médio e longos prazos. 

“Este tem sido o nosso objetivo, temos vários protocolos de pesquisas em andamento que em breve pretendemos publicar na literatura médica, para que possamos contribuir de alguma forma na formação de um conceito em relação à prematuridade”, adiante ao médico.

O desafio constante da equipe de neonatologia da Santa Casa é manter a qualidade do serviço baseado em excelência técnica, com atendimento humanizado, adaptando os recursos tecnológicos à realidade do hospital e, principalmente, trabalhando os colaboradores no sentido de capacitá-los e motivá-los. 

“Nossa equipe médica possui vasta experiência em tratar prematuros extremos e uma equipe de enfermagem bastante dedicada. Contamos também com total apoio da direção da Santa Casa”, finaliza o intensivista neonatal.

Por: Assessoria de imprensa da Santa Casa de Araçatuba 
Araçatuba Acontece 
17/11/2020












Postar um comentário

0 Comentários