PM identifica autor de latrocínio ocorrido em Penápolis; irmãos são detidos em Jaú

Com base em informações levantadas pelo BAEP (Batalhão de Ações de Especiais de Polícia), de Araçatuba,  a Polícia Militar identificou, na noite desta quarta-feira (22),  o autor e outros possíveis envolvidos no latrocínio (roubo seguido de morte) de um comerciante de Penápolis.

O crime ocorreu no Jardim Tókio, na noite de terça-feira (21), e vitimou o comerciante João Origuela Filho, de 73 anos, assassinado a facadas durante um roubo onde os criminosos levaram o veículo da vítima, um Honda City.

Por meio do sistema inteligente da PM,  foi possível verificar que o veículo havia passado por um radar inteligente no município de Bauru após o crime.

Os policiais militares do Baep, comandados pelo tenente PM Souto, responsável pelo 3°Pelotão do BAEP, durante levantamento de informações sobre o crime, conseguiram imagens de monitoramento do veículo em fuga, sendo possível constatar um casal no interior do veículo subtraído.

Na manhã desta quarta, o o veículo subtraído foi encontrado queimado na zona rural de Jaú sendo que as imagens foram enviadas aos policiais militares da Força Tática daquela região para diligências.

No início da noite, a PM de Jaú conseguiu abordar e localizar o homem e a mulher que apareciam nas filmagens. O homem confessou a autoria do crime e que teria um adolescente também envolvido. Ele disse que após o crime, foi buscar sua irmã e que ambos seguiram de Penápolis para Jaú, onde reside a mãe de ambos. A polícia continua apurando o caso.

O CRIME

Penápolis registrou, na noite de terça-feira (21), o primeiro latrocínio do ano. O comerciante João Origuela Filho, de 73 anos, foi assassinado com pelo menos 9 facadas dentro do bar em que era proprietário. O crime ocorreu por volta das 20h30, na Rua Madre São Francisco.

Na fuga, o carro da vítima foi levado.  O veículo foi encontrado pela PM no final da manhã desta terça-feira (22) incendiado em um terreno baldio em Jaú - a cerca de 210 km de Penápolis).

Familiares do comerciante não deram falta de nenhum objeto, mas a vítima costumava andar com certa quantia em dinheiro nos bolsos, valor que foi levado pelo autor do latrocínio.

Segundo o tenente PM Souto, do BAEP de Araçatuba, a PM trabalhou intensamente, desde a comunicação do crime, para identificar e prender os autores de tão bárbaro crime.

Por: Alex Mesmer/Regional Press
Araçatuba Acontece
23/07/2020



Postar um comentário

0 Comentários