Assassino de Paola Bulgarelli é condenado a 32 anos e quatro meses de prisão

Emerson de Barros Lins, o Miojo, foi condenado a 32 anos e quatro meses de prisão pela morte, estupro,ocultação de cadáver e furto de telefone celular da jovem Paola Bulgarelli, em 2015, em Araçatuba (SP).O julgamento aconteceu nesta quarta-feira e durou cerca de nove horas.

Pelo homicídio ele pegou 20 anos e 10 meses de prisão, pelo estupro, sete anos e seis meses, pela ocultação de cadáver mais um ano e quatro meses, e pelo furto do celular, dois anos e oito meses.

Durante seu depoimento nesta quarta-feira,o acusado voltou a confessar que cometeu os crimes. Posteriormente, diante da confissão, as testemunhas de defesa foram dispensadas pela Justiça.Por volta das 16h15 os jurados se reuniram na sala secreta e às 17h40 o juiz deu a sentença.

Paola foi estuprada, morta e o corpo foi jogado no Ribeirão Baguaçu em junho de 2015. A vítima, então com 20 anos, saiu de casa para ir à lanchonete onde trabalhava, na avenida Brasília, e não foi mais vista. Uma semana depois o corpo dela foi encontrado no Baguaçu.

O acusado confessou o crime à polícia e estava preso desde então. Um dia depois do enterro da vítima, o suspeito do crime, que tinha 20 anos na época, foi encontrado escondido na casa de parentes em Castilho (SP). Segundo a família, o suspeito chegou a ir ao velório de Paola. Ele confessou que estuprou e matou a vítima.

ADIAMENTOS

Em agosto do ano passado, a Justiça tinha anunciado o julgamento para dezembro, mas como o réu mudou de advogado, que precisaria de mais tempo para se inteirar do caso, o julgamento foi alterado. Além disso, uma testemunha alegou que não poderia estar presente no júri nesse ano.
Outra data foi agendada para fevereiro, mas a sessão foi novamente adiada por pedido da defesa para avaliação da sanidade mental do réu.


Postar um comentário

0 Comentários