Homens são presos por furto no antigo PSM horas depois de serem liberados em custódia

Dois homens foram presos em flagrante no início da tarde deste domingo, acusados de furtyo no prédio do antigo pronto-socorro municipal, poucas horas depois de serem liberados pela Justiça em audiência de custódia. Um deles havia sido preso pelo mesmo crime e o outro, por violência doméstica, após agredir a companheira com socos e golpes de faca.
Guardas municipais receberam a informação de que dois homens estavam no interior do prédio do antigo PSM cometendo furto. Uma equipe foi ao local e nas proximidades encontraram os acusados, o desempregado R.R.S., 31 anos, e o ajudante de pintor J.C.A., 38 anos, moradores no bairro Taane Andraus.

O ajudante de pintor carregava um rolo de cabo de aço e confessou que havia furtado do prédio que abrigava o pronto-socorro, no bairro Santana. O desempregado levava uma chave fixa e negou participação no furto, dizendo que estava apenas passando pelo local.
Os dois haviam acabado de ganhar a liberdade em audiência de custódia. Eles tinham passado a noite na carceragem da Polícia Civil por terem sido presos em flagrante no dia anterior, e foram liberados na audiência de custódia para responder aos processos em liberdade.

O desempregado havia sido detido por guardas municipais, na manhã de sábado, após ter sido flagrado pelo mesmo crime, furto de cabo de aço no prédio do PSM. Populares telefonaram para a central da Guarda Civil Municipal informando que havia uma pessoa praticando furto no prédio do pronto-socorro, e uma equipe foi até o local, onde flagrou o pintor, que já havia removido boa parte da instalação.
O ajudante de pintor havia sido preso na noite de sábado acusado de agredir sua companheira, uma dona de casa de 25 anos, com socos e empurrões, além de ferir os braços da vítima com golpes de faca.

O caso aconteceu no conjunto habitacional Nossa Senhora Aparecida. A própria vítima correu do agressor, foi para a casa de um vizinho e acionou a Polícia Militar. Quando os PMs chegaram, encontraram a vítima chorando, muito assustada e machucada.
A mulher estava com vários cortes nos braços, a boca sangrando e andava mancando, com dificuldade. Ela contou aos policiais que foi agredida por seu companheiro, que deu vários empurrões, socos e ainda, com uma faca, provocou ferimentos em seus braços.

O acusado estava na rua, em frente à casa onde a vítima havia se escondido.
Ele tentou resistir a abordagem dos militares e teve de ser algemado.
O acusado negou as agressões e disse que teve apenas uma “discussão de casal”.
Agora os dois voltaram à cadeia e serão encaminhados novamente para audiência de custódia.

Por: Fabio Shiz/Regional Press
Fotos/Arquivo
Araçatuba Acontece
02/09/2019




Postar um comentário

0 Comentários