PM prende pintor condenado a 24 anos de prisão por duplo homicídio em Araçatuba

O pintor Alessandro Aparecido Franco Moreira de Oliveira, 37 anos, morador no bairro Amizade, em Araçatuba, foi preso no final da tarde desta quarta-feira por policiais militares no bairro São Joaquim. Ele estava condenado a 24 anos de prisão em regime fechado por participação no assassinato de duas pessoas em outubro de 2001, na rua do Fico, próximo ao zoológico. O motivo do homicídio foi uma briga iniciada meses antes durante uma partida de futebol no Clube dos Bancários.
A reportagem do Regional Press apurou no processo que Oliveira pilotava uma moto e levava na garupa Aníbal Alves Gonçalves Júnior, que foi o autor dos disparos que mataram Oscarlino Garcia de Souza e Edson Neves na noite do dia 28 de outubro de 2001. Na época Alessandro tinha 18 anos. Aníbal já é falecido.
Conforme consta nos autos do processo, antes dos homicídios houve uma briga em uma partida de futebol envolvendo a turma de Oscarlino, de um lado, e de outro a turma de Anibal. Posteriormente Oscarlino foi vítima de uma tentativa de homicídio em um trailer de lanches próximo ao campo do América, na esquina da rua Abramo Gon com a avenida Arthur Ferreira da Costa.
Na época, ele teria descoberto os autores da tentativa, sendo Aníbal Júnior e outros dois homens. Oscarlino, que precisou passar por tratamento devido ao tiro que levou, foi atrás dos suspostos acusados e fez um acordo, recebendo na época, R$ 50 por mês para ajudar a custear o tratamento.
Consta do processo que Oscarlino estava pressionando os três para receber mais dinheiro, e fazendo ameaças de morte. Ainda conforme os depoimentos, Alessandro Oliveira disse que, até então, não conhecia Oscarlino, e sabia apenas da briga que ele tivera com a turma de seu amigo Anibal Júnior.
Alessandro disse em seus depoimentos que no dia do crime estava apenas dando uma carona a Anibal e não sabia do plano que ele tinha para matar Oscarlino. O fato foi confirmado por Anibal.

O CRIME
Na noite do crime, Oscarlino pediu uma carona ao seu vizinho, Edson Neves, para ir até a casa de um dos integrantes do grupo que ajudava a custear seu tratamento, para receber R$ 50. Enquanto isso, Alessandro e Anibal ficaram de moto nas proximidades esperando Oscarlino.
Quando ele passou na garupa da moto, Alessandro foi atrás e emparelhou a moto, quando Anibal sacou um revólver de calibre 38 e passou a atirar contra o passageiro da moto, acertando também o condutor. Oscarlino caiu da moto e tentou correr, morrendo bem na entrada do zoológico. Edson Neves foi socorrido mas não resistiu aos ferimentos.
Em depoimento, Alessandro disse que não sabia dos planos de Anibal e estava apenas dando uma carona, fato que Anibal confirmou também em seu depoimento. O julgamento de Alessandro foi em 2012, mas ele teve o direito de recorrer em liberdade. Após várias tentativas de recurso, no ano passado saiu a condenação definitiva. Ele foi condenado por duplo homicídio qualificado, por motivo torpe e mediante emboscada, além de combinação com o artigo 73 do código penal, devido à morte de Edson Neves, alvejado sem querer na ação contra Oscarlino.

A PRISÃO
O pintor estava na rua Castro Alves, no bairro Santana, quando foi abordado pela Polícia Militar durante patrulhamento de rotina, e constataram que havia um mandado de prisão contra ele.  Segundo amigos, atualmente trabalhava como pintor e há muito tempo havia deixado o “mundo do crime”. Está casado e tem uma filha recém-nascida.

Por: Fábio Shiz/Regional Press
Araçatuba Acontece
28/02/2019








Postar um comentário

0 Comentários