Mulher que teve casa incendiada pela filha é ameaçada de morte e denunciada falsamente por tráfico

A vítima que mora no Porto Real em Araçatuba, ainda não conseguiu recuperar as coisas que perdeu no incêndio

Uma auxiliar de limpeza de 45 anos vive um drama em sua história, que daria até enredo de um filme. Ela teve a casa destruída por um incêndio provocado pela própria filha, perdeu tudo e agora está sendo ameaçada de morte pela filha e pelo genro. Passados três meses do incêndio a mulher ainda não conseguiu recuperar os móveis e roupas que perdeu.

Em entrevista ao Regional Press, a mulher, que pediu para não ser identificada, sua história e o drama que está vivendo. Ela disse que foi contemplada com uma casa do Porto Real, e com muito esforço foi construída uma edícula nos fundos, onde ela deixou a filha e o genro morando.

O casal ficaria responsável apenas pela conta de água. No entanto, quando ela foi ver o extrato, percebeu que havia uma dívida de mais de R$ 1.500 em contas atrasadas de água. Sem ter recursos para quitar, questionou a filha e o genro, e a cobrança gerou desentendimento familiar e o casal disse que iria embora.

A edícula foi desocupada e a auxiliar de limpeza pegou todos os seus móveis e pertences e mudou para a edícula. O filho e a nora, que está grávida, também foram para a casa dos fundos. O objetivo era alugar a casa da frente e usar o dinheiro do aluguel para pagar a conta de água.

No dia da mudança, 28 de outubro de 2018, todos estavam na casa dos fundos quando a filha da vítima chegou com o genro. Houve uma discussão e segundo a auxiliar de limpeza, o casal ateou fogo na edícula. Em seguida o genro dela, que estava armado com uma faca, tentou esfaqueá-la, e acidentalmente acabou atingindo a própria esposa, filha da vítima.

Na época surgiu inclusive o comentário de que o autor das facadas teria sido o filho da auxiliar de limpeza.

DRAMA
A mulher lembra que perdeu exatamente tudo com o incêndio, móveis, roupas e inclusive parte do enxoval de sua nora que já estava comprado. Até hoje ela não conseguiu recuperar os móveis e a nora ainda não montou o novo enxoval, cujo bebê, um menino, vai nascer em março.

Ela disse que está precisando de madeiramento e 18 telhas Eternit de 2,44 x 0,50 (que são mais em conta) para poder cobrir a casa. Também necessita de roupas e móveis. Ela só não perdeu a geladeira e a máquina de lavar porque no dia do incêndio, não havia levado para a casa dos fundos.

Ela trabalha como auxiliar de limpeza e mora com o filho e a nora, que estão desempregados. O filho as vezes trabalha fazendo bicos.

DENÚNCIA
Ela contou que a filha, além das ameaças de morte por conta do processo que está correndo na Justiça devido ao incêndio criminoso, recentemente a denunciou para a polícia, dizendo que ela estava vendendo drogas em seu local de trabalho, o que acabou gerando uma abordagem em local público. A mulher conta que vem vivendo um drama em sua vida que parece não ter fim.

Por: Fábio Shiz/Regional Press
Araçatuba Acontece
22/02/2019









Postar um comentário

0 Comentários