Professor é detido acusado de manter laboratório para cultivo de maconha em Araçatuba

Um professor de 33 anos foi detido no início da tarde desta sexta-feira após ser flagrado em sua casa com diversos materiais e uma estufa para o cultivo de maconha, além de um pote com diversos cogumelos secos, utilizados para fazer chá alucinógeno. De acordo com a polícia, ele também atuava nas redes sociais como consultor para cultivo de maconha.
Os policiais civis chegaram até o professor durante a operação Dream Market, desencadeada na manhã de sexta-feira para desarticular uma quadrilha, liderada por um garçom preso desde outubro, que comercializava drogas sintéticas por meio das redes sociais e também em festas rave. Até a compra pelo distribuidor era feita via internet, conforme investigações da polícia. Um outro professor, que integra a coordenação de uma entidade de classe da categoria, também foi preso durante a operação.
Durante a operação, no celular de um dos acusados que foi preso pela manhã, a polícia encontrou diversas fotos suspeitas, incluindo várias fotos de mudas de maconha, inclusive em uma estufa. A partir destas fotos os policiais chegaram até a casa do professor, localizada no bairro São Joaquim, divisa com a região central da cidade.
Durante as diligências os policiais localizaram na casa do professor a estufa para cultivo da droga. Havia diversos petrechos que revelaram indícios de que ele realmente estava cultivando a maconha, como ventiladores, termômetros, exaustores, balança de precisão e até medidor de PH, que verifica o índice de acidez da terra para o plantio. Os policiais localizaram ainda um pote com cogumelos secos.
No carro do docente, foram encontradas porções secas de maconha. Ele assumiu que mantinha o plantio da droga para consumo próprio, para não precisar ficar comprando nas chamadas “bocas de fumo”. No entanto, os policiais viram relação dele com integrantes da quadrilha detidos na operação Dream Market.

AVISO
Os policiais não localizaram nenhum pé de maconha justamente porque a namorada de um dos presos, que armazenava fotos em seu celular, pediu para um amigo em comum correr e avisar o professor sobre a operação e que as fotos dos pés de maconha estavam no celular do seu namorado, apreendido pela polícia.
Com base na informação ele e o amigo, segundo informaram à polícia, pegaram todos os vasos e jogaram no rio Tietê. O professor foi detido em flagrante e ficou à disposição da Justiça. A Polícia vai investigar também qual seria a ligação dele com integrantes da quadrilha.

Por: Fábio Shiz/Regional Press
Fotos /Silvio Romeiro/Divulgação
Araçatuba Acontece
08/12/2018










Postar um comentário

0 Comentários